Sobre Carmem Galbes

Jornalista, com pós em Sociopsicologia, MBA em mercado financeiro...tinha minha carreira, "minhas coisas", até que... recebi um convite para apoiar a carreira de outra pessoa em outro país. Ai, bem, aí eu virei a coadjuvante, a Coexpatriada.
Só que não!
Amargura? Poderia até ser, se a experiência de viver cada hora em um lugar não tivesse sido incrível!
Minha história como, na época, esposa de um profissional transferido começou lá em 2007, quando troquei minha amada São o Paulo pelo Rio de Janeiro. Mais do que um choque cultural, foi um choque de identidade. Amo o Rio, mas nem de longe estava preparada para deixar minha rede social, meu trabalho, minha família para  começar tudo do zero e na mais absoluta solidão, apesar de casada, de ter família grande e de ter bons amigos.
De onde eu sou? Sei que nasci em São Paulo, cresci em Campinas, voltei pra "capitar" para construir minha carreira, me reinventei no jornalismo no Rio, engravidei em Houston- Estados Unidos, dei à luz no Rio, fui do Recife por  5 anos. Voltei a ser do Rio - pela terceira vez - e hoje estou de volta a Campinas, onde tudo começou.
Profissão? Uma que eu construi e que posso levar na bagagem para onde quer que eu vá! Hoje chamam isso de nômade digital! Uia! Eu pesquiso, escrevo, troco informações sobre esse mundão da mobilidade de profissionais e suas famílias.
Nesse momento eu posso quase adivinhar o motivo de você ter vindo parar aqui...
Não consegue ser feliz em outro lugar, apesar da mudança ter trazido uma melhora no estilo de vida da família, nas expectativas de formação cultural dos filhos, nas finanças...e você se sente culpada, mal agradecida, sem forças para fazer algo por você mesma que não tenha absolutamente nada a ver com a expatriação...E você se sente triste porque deixou a carreira de lado, a família longe, porque perdeu a rede de apoio, a independência financeira, porque não tem intimidade com o idioma, com a cultura...enfim...é tanta coisa estranha, errada, ruim...eu sei!!
Se esse é o seu caso, sei exatamente o que você está passando porque também trilhei essa jornada. A boa notícia é que, com apoio sincero, a gente consegue se reencontrar e numa versão melhorada!
Espero que o Expatriadas te auxilie nesse processo, que seja uma fonte de informação, de troca e de um abraço apertado quando necessário.

Beijos e que você tenha uma jornada Leve!

Carmem Galbes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!