19 de junho de 2019

Expatriação, homem das cavernas e adaptação.

Olá, Coexpat!
Eu sempre reflito sobre o processo de adaptação "longe de casa".
Por que para algumas pessoas é mais fácil do que para outras?
Dias desses foi a biologia que inseriu mais peças para ajudar a montar meu quebra-cabeça cultural.
Eis que por algum motivo - que já não me lembro qual diante de tanto conteúdo que pipoca pra gente o dia todo - que surge o tema Neandertal.
Por que ele desapareceu se era considerado mais forte que o Homo Sapiens?
Existem várias teorias para explicar o desaparecimento, uma delas diz que o homem das cavernas sucumbiu porque tinha menos capacidade de aprender que o Homo Sapiens.
Eita!
Aprendizado = adaptação ao novo?
Só isso?!
Seria se não fosse por um "ops":
Pesquisas recentes já detectaram traços do DNA de Neandertais em Homo Sapiens o que indica que os Neandertais e os Homo Sapiens teriam se relacionado.
Claro que fiquei tentada em atribuir aos genes a capacidade de adaptação:
Menos capacidade de adaptação ➡️  Maior presença de genes de Neardertais no organismo.
Ah...se fosse simples assim:
Tipos de genes =  adaptação mais rápida ou mais lenta.
Pensando bem, ainda bem que não é. Se fosse genético, estaríamos condenados à uma situação...
O fato é que isso me levou a buscar uma fórmula para a adaptação.
Eu tentei sintetizar, mas olha como ficou a minha equação da adaptação:
Saúde física + espiritualidade equilibrada + disposição em aprender + aprender + praticar + corrigir erros + autoestima + coragem + leveza + bom humor + suporte da comunidade = adaptação.
E a sua fórmula para a adaptação, qual seria?

Carmem Galbes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!