12 de novembro de 2009

Do convite à expatriação, o difícil processo de escolha.

Olá, X!
Embora o convite para uma expatriação dê - geralmente - uma bela massageada no ego, ele vem acompanhado de muita dúvida, muita coisa a ser considerada, além da proposta em si.
Como decidir?
Abra espaço para a informação. Vale se aprofundar no pacote de incentivos, pesquisar o destino, escarafunchar a cultura, conversar com quem já foi...
Eu sei, eu sei, tudo isso pode ser muito abstrato. Você pode ter uma tonelada de informações e mesmo assim continuar em dúvida.
Tudo bem que às vezes é possível tomar o caminho do meio. Mas outras vezes você não vai ter como escapar: direita ou esquerda? Para cima ou para baixo?
O fato é que, até se posicionar, você vai ter queimado a cachola, mais precisamente o córtex pré-frontal, a casa da razão, e amígdala, nosso depósito de lembranças emocionais.
Caso não saiba, tem gente pesquisando pra valer maneiras de se chegar a melhor escolha - se é que ela existe - são os especialistas em ciência da decisão. São eles os ouvidos na edição dessa semana da Revista Istoé. A reportagem assinada por João Loes e Suzane G. Frutuoso traça uma espécie de roteiro para quem está na trilha da escolha e estampa como algumas pessoas lidam com as opções.
De acordo com o texto, para acertar na escolha:
- Durma bem. Pesquisas mostram que o sono é o momento em que estamos livres de preconceitos que podem atrapalhar as decisões.
- Controle a impulsividade, que pode embaçar as chances de oportunidade ou potencializar os medos.
- Estabeleça prazos para decidir. A indecisão pode abrir espaço para que outras pessoas acabem escolhendo por você.
- Fique atenta à intuição, mas não se apegue à ela. É que, dizem os especialistas, a intuição é “uma percepção do hoje influenciada pela associação com situações que ocorreram no passado...e nem sempre as coisas acontecem da mesma maneira.”
- Busque conselhos, mas não se esqueça que você tem seu próprio jeito de lidar com as situações.
- Considere seus reais desejos.
- Não se acanhe em escrever as opções que tem. Liste os prós e contras de cada uma. Quanto mais pontos positivos, maior a chance daquela ser a melhor opção.
- Pense sobre as emoções que cada opção provoca.
Lógico que tudo isso dá trabalho. Às vezes parece até bobo. Mas partir, mesmo que por um prazo determinado, vai impactar a sua vida, e da sua família, para sempre. Então é digno e legítimo, pelo menos, tentar acertar.
Imagem: SXC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!