27 de outubro de 2009

Quando a porta não é grande o bastante.

Olá, X!
A ideia hoje era conversar sobre o registro de filho de brasileiros que nasce no exterior.
Só que tinha me esquecido de como tem coisa que simplesmente muda o curso do dia, apesar de esse tipo de acontecimento não ter nada de grave.
Quer situação mais sacal que ficar esperando a entrega de algo, seja lá o que for?
Pois é, mudança tem disso. Hoje passei o dia à mercê do entregador do sofá. Ele poderia aparecer entre 8 da manhã e 6 da tarde. Perfeito. Assim não tem problema, pra ele, né?
O moço até que não judiou. Apareceu 2 da tarde. Mas o móvel era grande demais para as portas do Ap. Fez viagem de volta para ser desmontado. Ai que saudade do Ikea...isso pra ser bem suave...
Resuminho: tempo perdido para mim e para ele, irritação de saber que vou ter outro dia assim de espera e total falta de concentração para falar de qualquer coisa que exija um pouco mais de cuidado, caso da cidadania brasileira.
Eu sei, Deus é brasileiro. O assunto de cidadania por aqui parece simples, mas teve um período - até 2007 - em que muitos brasileirinhos nascidos pra lá da fronteira simplesmente ficaram sem pátria por causa de uma confusão na nossa lei.
Mas isso é assunto para amanhã...
A cada dia basta o seu sofá emperrado na porta!
Imagem: SXC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!