13 de maio de 2009

Cinco perguntas e uma boa surpresa! Holanda.

Olá, Coexpat!As cinco respostas de hoje vêm dos Países Baixos, que acho que a gente sempre chamou de Holanda.
A área mais populosa da União Européia é também a que tem a relação comercial mais intensa com o Brasil, isso entre os países europeus.
O idioma oficial é o Neerlandês. Mas acho melhor deixar a Naldy – que está há seis anos por lá - falar mais sobre o país das Tulipas.
A história de expatriação da Naldy tem a ver com muito amor. Um holandês ganhou o coração dela e convenceu essa carioca a deixar o endereço brasileiro pra trás.
Hoje Naldy trabalha como administradora de uma empresa americana, e vive com o marido e os dois filhos na região de Noord Brabant , cidade de Eindhoven, centro-sul da Holanda.
Nem o clima holandês mexe com o bom humor dela que deixa um recadinho antes das respostas: “Nunca desista dos seus sonhos.” Naldy também faz um convite: “se quiser acompanhar nosso dia-a-dia aqui na Holanda, clique no meu blog
http://www.dynaholanda.blogspot.com/
Com certeza, Naldy! Obrigada pelas suas dicas!


Cinco Perguntas:
Leve - Como foi o processo até você realmente se sentir em casa em outro país, ou isso nunca aconteceu?
N - Cheguei a Holanda em novembro de 2003. Mas já havia vindo aqui antes da decisão final (morar). Acredito que é importante visitarmos o local tanto em férias de verão como no inverno.
Cheguei à conclusão que me sentia em casa na Holanda quando voltei ao Brasil de férias pela primeira vez. Já não era mais a minha casa. Sentimento muito estranho, posso dizer. Acredito que nos sentimos em casa quando temos uma rotina definida, quando o telefone de casa toca para você, e quando você recebe cartas dos correios do próprio local onde mora.

Leve - O que é ou foi mais difícil durante a sua expatriação?
N - O idioma. Foi e ainda é o mais difícil ponto de todo o processo.

Leve - O que faria diferente?
N - Nada. Fiz exatamente da forma como programei. Visitei o país, visitei os lugares, pesquisei a lei do país, local de possível empregos, igreja (para mim importante) e conheci brasileiras mesmo antes de vir para cá como expatriada.

Leve - Toparia ser expatriada de novo?
N - Sim. Estou sempre aberta à novas experiências.

Leve - Quais expectativas se concretizaram e quais viraram pó depois da mudança?
N - Trabalhar na minha profissão do Brasil: essa virou pó.
Aprender o idioma: essa finalmente posso dizer que se concretizou.

A boa surpresa:
Hoje posso dizer que sou independente financeiramente, coisa que nunca pensei que pudesse acontecer fora do meu país. Mas o melhor de tudo não é isso, é ver meus filhos totalmente felizes morando aqui, viver nesse país que eu aprendi a amar, apesar desse tempinho chuvoso.

Carmem Galbes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!