14 de abril de 2009

Mas o que é essa tal de fluência?

Olá, X!
A última edição da revista Você SA traz um “causo” que mostra como, apesar de tanto investimento no aprendizado de outras línguas, ainda vivemos em uma Torre de Babel.
A história é mais ou menos assim: indianos - os fornecedores - e franceses - os clientes - não estavam conseguindo se entender. Aí um colombiano entrou em cena e montou uma equipe brasileira de suporte de tecnologia. O mais difícil? Encontrar brasileiro fluente em francês.
Aliás, a fluência em um outro idioma, diz a reportagem, continua sendo o principal gargalo para a exportação de talento nacional.
Parei aí. Mas o que é, afinal, essa tal de fluência que muita gente fala que tem, mas que dizem ser tão difícil de encontrar?
O dicionário aponta que algo fluente tem a qualidade de natural e espontâneo.
Clicando por aí, descobri que a coisa é muito mais complexa. Encontrei - inclusive - um instituto que trata exclusivamente sobre o tema.
Os estudiosos do assunto explicam que “de forma geral, quanto mais a pessoa for fluente, menos atenção precisa voltar à fala. A fluência simplesmente acontece, sem que a pessoa saiba explicar exatamente por que ou como consegue.”
Os especialistas acrescentam que hesitação, pausa e velocidade não são, necessariamente, marcadores de uma fala fluente. A fluência está mais relacionada ao uso correto da gramática, de palavras dotadas de conteúdo e até do esforço físico ao se expressar.
Então, resumo fluência assim: você fala, consegue se fazer entender, sem ficar morta depois da conversa.
E de pensar que, às vezes, não conseguimos isso nem na nossa própria língua...
E o que você acha disso? Clique em comentários logo abaixo, ou mande um e-mail para expatriadas@hotmail.com.
Imagem: SXC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!