2 de fevereiro de 2009

Touchdown!

Olá, Coexpat!Domingo me entreguei à "pesquisa antropológica" e entrei de cabeça no clima do Super Bowl.
Tv, appetizers, bebericos e olho no laaaance! Ééééééééé touchdown! Que essa cabeça de mulher traduz livremente como gooooooool!
Tudo bem, ainda não entendi direito as regras do jogo, mas deu pra perceber o peso do evento por aqui.
Aprendi que o negócio vai além de pura "pancadaria" em campo. Tem a ver com as premissas de todo esporte como dedicação e, no caso dessa modalidade, trabalho em equipe e tem a ver - claro - com altas cifras.
A final do campeonato nacional de futebol americano é uma festança.

Entre as curiosidades: dizem que é um dos dias em que o americano mais come, a data fica atrás apenas do dia de Ação de Graças.
O jogo não acontece necessariamente na casa de um dos finalistas. A cidade é eleita nos moldes da escolha para a sede da Olimpíada, ela se candidata e tem que provar que é capaz de receber o público, gente do país inteiro. Um grande negócio!
Por causa da grande audiência, algumas campanhas publicitárias são lançadas no horário da transmissão da final, que ocorre entre cinco da tarde e nove da noite - mais ou menos. Um espaço de 30 segundos na TV pode custar US$ 3 milhões!
Escutando rádio hoje, descobri que tem concurso depois para que os ouvintes escolham o melhor comercial.
No mais, lembra muito o que a gente está acostumado: comentaristas, convidados, bastidores.
Mas não tem jeito, no fim do jogo, mesmo sem entender lá muita coisa, já estava vibrando, xingando o juiz e reclamando de jogador folgado, acho que era saudade...Pode, saudade de futebol?!
Bom, o que eu mais gostei? Gosto de ver a paixão e o entusiasmo do povo. Mas o melhor foi mesmo a companhia durante o jogo e o show de 20 minutos do Bruce Springsteen durante o intervalo.

Carmem Galbes
Fotos: Jamie Squire - Getty Images.

3 comentários:

  1. Dá pra perceber a paixão deles só pela quantidade de cenas no cinema. Ou os protagonistas estão assistindo ao jogo (comendo hot-dog e refrigerante gigante) ou têm ingressos para alguma partida decisiva.
    Abraço,
    Tati.

    ResponderExcluir
  2. Exatamente há um ano atras pude presenciar tudo isso que vc disse...
    Lembro q o que mais me chamou a atenção foram as prateleiras de salgadinhos e refreigerentes dos sumpercados absolutamesnte desfalcadas!
    Belo post....q saudade!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Tati,
    É, paixão é paixão...

    Carol,
    Obrigada! Fica difícil saber se a paixão é mais pelo esporte ou pela comida...
    Bjs.

    ResponderExcluir

Olá! É um prazer falar com você!