4 de dezembro de 2008

Depende...

Olá, Coexpat!

Tenho uma professora que costuma iniciar a aula com uma pergunta do tipo “qual você prefere?" São geralmente extremos: gastar ou guardar? Calar ou falar? Ir ou ficar? E quase sempre a resposta é depende.
Ela simplesmente não aceita. Quer argumentos para apenas um lado. O exercício é interessante. Escolhemos um lado, nos prendemos a ele, nos apaixonamos, criamos vínculos profundos para convencer a gente mesma de que o lado escolhido é definitivamente o melhor, mas sempre fica aquela pontinha de “por outro lado...”
E por que é mesmo que a gente tem que viver só em uma margem se uma outra está disponível, além de um rio no meio? Diz ela que é para treinar a argumentação. Ótimo exercício, péssima prática - no meu “humirde” ponto de vista.
É que acho que quanto mais a gente escorrega para um lado, mais a gente afunda, mais a gente complica, mais a gente se perde.
Alguém pode dizer, mas e os valores? Ok, se você preferir, pode repetir pra você mesma que os valores têm de ser imutáveis, mas que de tempos em tempos a gente tem que revisitar os motivos para determinadas filosofias de vida, ah isso a gente tem! Não que eu goste de sarna. O fato é essa cachola repleta de leis, regras, normas e condutas é como guarda-roupa, às vezes fica meio ultrapassado, sabe...Tem coisa que está fora de moda ou apertada, tem coisa que está gasta, tem muita tranqueira também, sem contar aquilo que você nem lembrava mais que tinha.
Botar o armário abaixo é um porre? Minha professora que me perdoe, mas só uma resposta é capaz de satisfazer esta coexpat aqui: DEPENDE!


Carmem Galbes
Imagem: SXC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!