5 de novembro de 2008

Texas e a vitória de Obama.

Olá, Coexpat!Moro em um estado tradicionalmente republicano, então o som da festa ecoou baixo por aqui.
Os texanos que conversei encararam a vitória do Obama assim:
“Well, votei para o McCain, mas tenho certeza que o Obama fará um grande governo...”
“Ok, minha família é mais conservadora, também votei para o McCain, mas no fundo do meu coração acreditava na vitória da diferença...”
“O Obama venceu, mas estou feliz...”
Sei lá, entendi tudo isso como inveja sufocada, aquela dor de cotovelo que dói na alma...
Não ouvi lamentações, reclamações, pragas...apenas poréns...
Nos olhares conservadores foi possível - sim - perceber um misto de “ué” com “vixe”. Sabe quando o sorriso não combina com a feição dos olhos?
Uma outra disse que é natural, faz parte do rodízio, oito anos republicanos, agora oito anos democratas...
Ouvi um outro argumentar que está mais aflito com o fato incomum de ter um congresso alinhado às idéias do novo presidente, o que - na visão dele - pode gerar um descontrole dos gastos sociais nesse governo...
Nossa, deu uma vontade de falar: libera, chora, tira as calças e pisa em cima, mas estamos em uma região de hábitos mais rígidos, de fala moderada, de pequenos goles, de espirro baixo, de cabelo preso...
A questão é que todo mundo sabe que o buraco é mais embaixo. Gastos? E os recursos?
Pelo menos por aqui, na maioria, a quarta foi de “então tá, deixa eu ir, porque as prestações continuam chegando e o emprego caindo...”
Para quem já viveu essa experiência de ver o avesso chegar lá, é interessante recordar esse clima de desconfiança, de suspiro esticado, de sobrancelha suspensa...Interessante...

Carmem Galbes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!