8 de agosto de 2008

Todo dia é sexta-feira - pelo menos aqui, vai!


Olá, Coexpat!

Estava aqui visitando uns textos que escrevi lá no comecinho da minha expatriação para os Estados Unidos.
Cheguei em um que falava mais ou menos assim: 
Sexta-feira! Estava aqui pensando que de uns tempos para cá meus dias têm sido um fim de semana contínuo, já que estou na condição de 'esposa de profissional expatriado' e faço parte do time que deixou tralalá e etc & tal para acompanhar o maridão.
Engraçado que tenho tido compromissos, sim. Escola, casa, compras, contas, só que parece que tudo flui mais leve.
Mas conversando com mulheres que estão na mesma condição que a minha, percebo que lidar com o fato de poder desacelerar e fazer coisas que não tinham tempo nenhum de fazer porque trabalhavam como camelo é algo que incomoda.
É como tomar gelado assim que a garganta cura ou não resistir ao vinho, mesmo recém-saída de uma paulada no fígado. Quero dizer que não tem nada demais, a doença passou, bola pra frente, mas tem aquela coisa de culpa que não larga do pé.
Aí na leitura diária encontro uma entrevista com um especialista em lazer, é mole? Resumindo, o cara diz que você é quem decide se a sua vida vai ser legal ou não.

Em uma entrevista para a Folha, Christopher Edginton garante que até no trabalho, até em um bate-papo, até em casa, até quando a conta bancária não ajuda é possível “descer pro play”, porque lazer é um estado de espírito.
Se você está aí se sentindo um nada porque não tem mais ninguém mandando no seu relógio e na sua agenda pense um pouco sobre as palavras do especialista. “Tudo que ocorre na vida de alguém tem um potencial de transformação. O lazer é um momento especial porque livra as pessoas de suas obrigações e lhes dá uma oportunidade de refletir, redefinir valores, aprender novas habilidades. Pense em lazer como liberdade - quando você é livre para escolher, para mudar a sua vida e seguir numa direção diferente”.
Então não deixe que esse seu fim de semana termine no domingo, ok?


Carmem Galbes

3 comentários:

  1. "Work smart, not hard!!" Isso era o que um amigo do Ro sempre diz. Engracado, a nocao de trabalho que està enraizada na gente, nè?
    Outro dia disse para o Ro:"Nossa, vc chegou do trabalho suuuuper cheiroso ainda." Ele me respondeu:"Claro, trabalho o dia todo sentado, olhando papeis e dentro de uma sala com ar condicionado!".
    Frase-chave para achar graca sempre: MUDANCA OU REORDENACAO DE VALORES.
    Bjs.,
    Sister.

    ResponderExcluir
  2. Ótima reflexão porque ainda estou nesse processe de culpa. Reorganizar os pensamentos e a vida depois de uma mudança de país, longe de tudo que estava acostumada a fazer e de todos que ama, não é uma tarefa muito fácil, mas é totalmente viável quando se vê as coisas por um outro ângulo como diz o texto. Somos o que desejamos ser, e se desejarmos tornar essa experiência incrível e feliz com certeza tudo se tornará mais suave para podermos aproveitar o que a oportunidade está nos oferendo. Não vamos deixar de fazer o que gostamos de fazer ou deixar de amar quem amamos só porque estamos em outro lugar, talvez só façamos diferente e talves melhor ainda. Se trabalharmos bem a nossa mente, vamos perceber que tudo pode se tornar ainda mais especial. Porque estando longe de casa damos valor a coisas que jamais julgariamos que fossem importantes e necessarias se continuássemos lá.

    Daniele Oliveira

    ResponderExcluir
  3. Ótima reflexão porque ainda estou nesse processe de culpa. Reorganizar os pensamentos e a vida depois de uma mudança de país, longe de tudo que estava acostumada a fazer e de todos que ama, não é uma tarefa muito fácil, mas é totalmente viável quando se vê as coisas por um outro ângulo como diz o texto. Somos o que desejamos ser, e se desejarmos tornar essa experiência incrível e feliz com certeza tudo se tornará mais suave para podermos aproveitar o que a oportunidade está nos oferendo. Não vamos deixar de fazer o que gostamos de fazer ou deixar de amar quem amamos só porque estamos em outro lugar, talvez só façamos diferente e talves melhor ainda. Se trabalharmos bem a nossa mente, vamos perceber que tudo pode se tornar ainda mais especial. Porque estando longe de casa damos valor a coisas que jamais julgariamos que fossem importantes e necessarias se continuássemos lá.

    Daniele Oliveira

    ResponderExcluir

Olá! É um prazer falar com você!