5 de agosto de 2008

Edouard, meu primeiro furacão foi só uma garoa.


Olá, Coexpat!
O alerta começou ontem. A tempestade tropical que vinha do oceano poderia virar furacão.
Então, seguindo a maré, corri para o mercado. Estoque de água, comida enlatada, lanterna e pilha. Boa lembrança da amiga Adriana: "não se esqueça do abridor de lata".
O kit é necessário em caso de danos na rede elétrica e de abastecimento de água, com risco de dias de "acampamento", sem energia e sem água potável.
Seguindo o procedimento de quem já viveu a fúria da natureza, escolas, empresas e repartições não abriram nesta terça-feira. Na televisão, plantão 24 horas.
Edouard chegou pela manhã acompanhado de chuva e vento de até 100 quilômetros por hora em alguns pontos da costa Texana.
Mas ao contrário das previsões pessimistas, nada de danos. Edou - sou íntima - trouxe coisa boa, como temperatura mais amena. Pela primeira vez em um mês o termômetro ficou abaixo dos 30 graus durante o dia.
No fim, meu querido Edouard foi a causa de um dia mais calmo, mais lento, diria recluso até.
É, para quem está acostumada com as enchentes paulistanas e viveu a confusão com o fechamento do carioca Rebouças no ano passado, o Edouard foi só uma garoa...

Carmem Galbes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! É um prazer falar com você!